Copo Coleção Lúpulos do Mundo - Escola Alemã

Opinião dos Consumidores:0Avaliar este produto
  • Origem
  • Tipo
  • Amargor
  • Teor Alcoólico
  • Validade:
  • Dica do beer sommelier

    • Infos
    • Sobre a Marca
    • Avaliação
    • Curiosidades
    • Vídeos
    • Premiações

    Informações do produto

    marca

    Avaliação e Comentários

    Comente pelo Facebook

    curiosidade

    video

    premio

    Dando continuidade à coleção de copos da The Beer Planet: ‘Lúpulos do Mundo’; neste mês você recebe o representante da Escola Alemã, com a ilustração do mapa da Alemanha e da República Tcheca, países responsáveis pela maior representatividade na produção de lúpulos da região. Em destaque aparecem alguns nomes de diversas variedades de lúpulos cultivadas por lá. Desde os mais clássicos, também chamados de Lúpulos Nobres: Saaz, Spalt, Hallertauer Mittelfruh e Tettnag; até os mais contemporâneos, como: Monroe, Hull Mellon e Polaris. A região em questão, mais especificamente a Alemanha, foi por muitos anos a maior produtora de lúpulos do mundo, perdendo seu posto recentemente para os Estados Unidos, mas ainda cumprindo um importantíssimo papel no cultivo desse amado insumo cervejeiro. Os perfis de aroma e sabor das variedades cultivadas nessa região também são bastante variados, podendo apresentar características herbais, florais e picantes (muito comuns nos lúpulos nobres), até notas mais cítricas, frutadas e de uvas brancas (resultado dos cruzamentos de lúpulos de outras regiões e variedades). Este copo tem o formato ideal para degustar diversos estilos, principalmente o tradicional Pilsener, que é provavelmente o estilo mais emblemático dessa escola cervejeira.

    Indicação do Beernauta

    Preço Sócio Club17,91

    Informação do Produto

    Dica do Beer SommelierDando continuidade à coleção de copos da The Beer Planet: ‘Lúpulos do Mundo’; neste mês você recebe o representante da Escola Alemã, com a ilustração do mapa da Alemanha e da República Tcheca, países responsáveis pela maior representatividade na produção de lúpulos da região. Em destaque aparecem alguns nomes de diversas variedades de lúpulos cultivadas por lá. Desde os mais clássicos, também chamados de Lúpulos Nobres: Saaz, Spalt, Hallertauer Mittelfruh e Tettnag; até os mais contemporâneos, como: Monroe, Hull Mellon e Polaris. A região em questão, mais especificamente a Alemanha, foi por muitos anos a maior produtora de lúpulos do mundo, perdendo seu posto recentemente para os Estados Unidos, mas ainda cumprindo um importantíssimo papel no cultivo desse amado insumo cervejeiro. Os perfis de aroma e sabor das variedades cultivadas nessa região também são bastante variados, podendo apresentar características herbais, florais e picantes (muito comuns nos lúpulos nobres), até notas mais cítricas, frutadas e de uvas brancas (resultado dos cruzamentos de lúpulos de outras regiões e variedades). Este copo tem o formato ideal para degustar diversos estilos, principalmente o tradicional Pilsener, que é provavelmente o estilo mais emblemático dessa escola cervejeira.